Novo estudo demonstra que dor mista atinge 59% dos casos de dor

Lombar e pescoço são as áreas que mais sofrem com esse tipo de inflamação combinada a lesão dos nervos

A dor mista é caracterizada por uma inflamação combinada a uma lesão nos nervos e é o tipo mais frequente de dor (59% dos casos). Ela está por trás de diversos desconfortos e dores comuns do dia-a-dia, como lombalgia (dor lombar) e cervicalgia (dor no pescoço). Por ser um tipo de dor que acomete grande parte da população, a dor mista merece uma atenção especial e a Merck fomenta a discussão sobre o tema, com base em novos dados que prometem ajudar a entender melhor essa condição.

Em novo estudo clínico realizado com 5.024 pacientes em 551 pronto atendimentos e centros de ortopedia da Espanha, a dor mista foi diagnosticada como a mais comum entre os pacientes, sendo responsável por 59% dos casos de dor. Entre os pacientes, 54% dos casos foram diagnosticados com lombalgia, 30% com cervicalgia e 29% com osteoartrite, podendo inclusive, apresentar mais de uma condição concomitantemente.

O estudo clínico (publicado em dezembro de 2017) analisou as características da dor, outros fatores que a influenciam, dados relacionados aos cuidados de saúde e qualidade de vida.

O estudo concluiu que os pacientes com dor mista apresentaram maior complexidade clínica do que os outros pacientes, como: mais comorbidades (existência de duas ou mais doenças simultaneamente), fatores psicossociais adversos, uso de recursos de cuidados de saúde, tratamento insuficiente e dificuldades percebidas no gerenciamento de pacientes. Ainda, o estudo percebeu menor eficácia dos tratamentos e menor qualidade de vida relacionada à saúde.

Além disso, para os pacientes com dor mista, é fundamental tratar ambos os componentes (inflamatório e neuropático) para uma remissão completa dos sintomas de dor e também para evitar o reaparecimento posterior desses sintomas.

Segundo o Dr. Camilo Partezani Helito, Instituto de Ortopedia e Traumatologia, Hospital das Clínicas, Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, quando se trata a dor mista é preciso tratar os dois componentes, principalmente na fase mais aguda. “Assim, você vai dar o melhor tratamento possível para o paciente e evitar que essa dor se torne crônica”, diz o médico.

O componente inflamatório pode ser tratado com anti-inflamatórios não esteroidais. Porém, é muito importante tratar também o componente neuropático (nervos). As vitaminas do complexo B em alta dosagem demonstraram ser eficazes na regeneração nervosa, além de promoverem a neurotransmissão e agirem como facilitadoras da propagação do impulso nervoso. Para o Dr. Camilo, a dor mista é relevante porque é frequente e quando temos um quadro misto precisamos ter um tratamento multimodal. O médico é a linha de frente nesse tipo de tratamento.

Referências: Ibor PJ, Sánchez-Magro I, Villoria J, Leal A, Esquivias A.Mixed Pain Can Be Discerned in the Primary Care and Orthopedics Settings in Spain: A Large Cross-Sectional Study. Clin J Pain. 2017 Dec;33(12):1100-1108. Mibielli MA, Geller M, Cohen JC, et al. Diclofenac plus B vitamins versus diclofenac monotherapy in lumbago: the DOLOR study. Curr Med Res Opin 2009; 25(11): 2589-2599. Singleton C.K. and Martin P.R., Molecular mechanisms of thiamine utilization. Curr Mol Med 2001; 1(2):197-207. Sriram K., et al., Thiamine in nutrition therapy. Nutr Clin Pract 2012; 27(1):41-50. Dakshinamurti K., Paulose C.S., Viswanathan M., et al., Neurobiology of pyridoxine. Annals of the New York Academy of Sciences 1990; 585:128-44.
Adamo A.M., Nutritional factors and aging in demyelinating diseases. Genes Nutr 2014; 9:360.

Sobre a divisão Consumer Health da Merck:
As marcas da divisão Consumer Health da Merck são líderes inovadoras em mercados de grande importância, apoiadas pela pesquisa científica e dignas da confiança dos consumidores de todo o mundo. A divisão Consumer Health conta com mais de 3.800 funcionários em todo o mundo e tem atividades em mais de 40 mercados. O portfólio consiste em marcas cujo total anual de vendas é de cerca de US$ 1 bilhão. Consumer Health é uma divisão de HealthCare dentro do Grupo Merck, cuja matriz mundial está em Darmstadt, na Alemanha.
Para mais informações, acesse http://www.merck-consumer-health.com/ ou http://www.twitter.com/merck_ch.

Sobre a Merck:
A Merck é uma companhia líder em ciência e tecnologia que atua nas áreas de saúde, ciências da vida e materiais de performance. Cerca de 50.000 funcionários trabalham para desenvolver ainda mais as tecnologias que melhoram e aperfeiçoam a vida – desde terapias biofarmacêuticas para tratar desde o câncer ou a esclerose múltipla, sistemas super avançados de pesquisa e produção científica, até cristais líquidos para smartphones e televisores LCD. Em 2016, a Merck gerou vendas de 15 bilhões de euros em 66 países.

Fundada em 1668, a Merck é a mais antiga companhia farmacêutica e química do mundo. A família fundadora continua a ser a proprietária majoritária do grupo corporativo de capital aberto. A Merck detém os direitos globais sobre o nome e marca Merck. As únicas exceções são os Estados Unidos e Canadá, onde a companhia opera sob os nomes EMD Serono, MilliporeSigma e EMD Performance Materials.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

 
Prezado usuário, 

 

A Kairos contém conteúdos que são dirigidos exclusivamente a profissionais de saúde, farmacêuticos, médicos e odontólogos.

O site oferece informações apenas para fins educacionais e informativos em geral para profissionais autorizados a prescrever ou dispensar medicamentos. Estas informações não se destinam a substituir o aconselhamento, tratamento ou recomendações de profissionais de saúde ou substituir os conhecimentos, competências e melhores práticas que adquiriram durante a sua formação.

 

Ao aceitar estas condições, você declara ser profissional de saúde.